bb5.jpg
 
 

VOCÊ deve ter ouvido muito…

Você foi infeliz desta vez, tente novamente;
Era para ser assim;
O corpo sabe quando um bebê deve ser rejeitado;
Na próxima vez usaremos mais progesterona;
Se você aborta frequentemente, tentaremos fertilização in vitro;
Na próxima vez tentaremos ovodoação, seus ovos estão muito velhos;
Na próxima vez tentaremos aspirina e heparina;
Na próxima vez tentaremos imunoglobulina humana intravenosa;

 
 
liso2Artboard 1 cópia 2@4x-100.jpg
 

Tratamentos

 
 

Infertilidade

 

Entre 10 e 15% dos casais apresentam dificuldades para engravidar. Há inúmeras causas para que isso aconteça. As mais frequentes são as dificuldades de ovulação, a presença de aderências internas secundárias a infecções ou endometriose. Uma avaliação imunológica completa essa investigação.

É também fundamental estudar os fatores masculinos relacionados à baixa qualidade ou quantidade de espermatozóides no sêmen. Quando necessário, o parceiro é encaminhado para tratamento específico com um Andrologista.

Realizamos em nossa clínica a investigação completa de todos os fatores que podem comprometer a fertilidade antes de propor qualquer forma de tratamento, inclusive dos aspectos imunológicos. Os mais habituais são a indução da ovulação, a inseminação intrauterina e a fertilização in vitro. Quando a paciente apresenta baixa reserva ovariana, pode ser feito o tratamento de fertilização in vitro com a proposta de dupla coleta de óvulos no mesmo ciclo. Este procedimento é conhecido com Duostim, dupla estimulação e coleta de óvulos no mesmo ciclo de tratamento.

Veja uma lista mais aprofundada dos tratamentos possíveis no site da Clínica Androfert, a quem somos associados há mais de 20 anos.

 
 

Problemas imunológicos

 

Hoje consideramos que há dois tipos de alterações imunológicas que devem ser abordados.

1. Alterações na Atividade das Células NK. Identifica-se esta alteração funcional através de um exame específico, realizado no Brasil no Laboratório Sollutio. Uma amostra de sangue da paciente é colocada em contato com uma cultura de células de placenta e verifica-se a intensidade das reações das células NK em relação a estas células. Há um padrão de normalidade mensurado em mulheres férteis.  Acima deste considera-se que há um potencial de agressão do sistema imune da mulher. Esta alteração funcional pode comprometer os processos de adaptação imunológica à gravidez. O tratamento habitual desta alteração é o uso de soluções de lipídeos (Intralipid), medicações de ação imunológica (corticóides, G-CSF, reuquinol).

2. Desequilíbrio das linfocinas, com predominância da resposta do tipo Th1 (inflamatória) em relação à resposta Th2 (imunossupressora). Essa alteração é verificada pela relação entre as linfocinas (ou citocinas) TNF-α, Interferon-δ e IL-10. Essas alterações podem comprometer os processos de implantação e manutenção da gravidez pela atividade pró inflamatória que se instala no ambiente uterino. Essa avaliação estará em breve disponível no Laboratório Sollutio. O tratamento para essa alterações é feito com medicações imunobiológicas além dos tratamentos utilizados para alterações das células NK.

Se você já teve duas ou mais perdas gestacionais ou falhas em programas de reprodução assistida (fertilização in vitro com transferência de embriões) você possivelmente apresenta alterações imunológicas que podem ser responsáveis pela infertilidade.

 
 

Trombofilias

 

São tendências para desencadear trombose, uma obstrução dos vasos sanguíneos pela formação de coágulos. Podem ser consideradas hereditárias (quando estão presentes como uma característica herdada geneticamente) ou adquiridas (quando surgem em algum momento da vida).

A identificação de uma trombofilia eleva o risco de formação de coágulos na superfície da placenta e isto pode comprometer a oferta de nutrientes e oxigênio para o bebê. Toda grávida já está propensa a formar mais coágulos porque a gestação requer um preparo para interromper o sangramento uterino após o parto.

Quando uma trombofilia estiver presente, você será orientada a utilizar medicamentos anticoagulantes para prevenção da trombose na placenta ou em qualquer outro local do seu organismo.

 
 

Insuficiência do colo do útero

 

Incompetência istmo cervical é uma fragilidade do colo uterino que impede a sustentação do peso do feto. Ocorre uma dilatação indolor do colo uterino, levando a partos prematuros extremos ou a abortamentos tardios. O tratamento para estas mulheres é o procedimento de cerclagem do colo uterino. A cirurgia pode ser realizada na fase pré-gestacional (técnica Shirodkar-Barini) ou durante a gravidez, pela via vaginal (cerclagem dupla de Palmer ou McDonald) ou pela via abdominal.

 
 
 

Como ser atendida


 

Você pode solicitar ao seu médico que a encaminhe para nossa clínica.  Você também pode entrar em contato direto conosco por telefone (019-3294-5807) ou e-mail (clinica@barini.med.br). Para facilitar seu atendimento, recomendo que seu médico encaminhe um resumo de seu histórico com os exames que já tiver realizado.

Você será redirecionada para seu médico depois que realizar o estudo diagnóstico e planejarmos seu tratamento. Você poderá seguir sua gravidez em sua cidade, com nosso suporte periódico, avaliando exames e o desenvolvimento da gestação.

Oferecemos diagnóstico e tratamento para infertilidade feminina e fazemos o rastreamento das causas masculinas. Quando identificados problemas masculinos, o parceiro é referido para atendimento específico com a equipe de Andrologistas da Androfert (www.androfert.com.br).

Nossa clínica tem experiência na avaliação imunológica dos casais com infertilidade, falhas de implantação e abortamento recorrente. Você será avaliada quanto a esses estudos para saber se estarão indicados para seus problemas.

Todas nossas pacientes são orientadas para a investigação das trombofilias (que significa tendência para trombose) hereditárias e adquiridas (que é a SAF, ou a síndrome dos anticorpos antifosfolipídicos). Esses marcadores podem influenciar negativamente na oferta de nutrientes e oxigênio para o bebê pois podem favorecer formação de coágulos no lado materno da placenta.

Há ainda a possibilidade de investigação e tratamento para a insuficiência istmo cervical, uma alteração do colo uterino que leva a perdas gestacionais mais tardias.

Além dos exames descritos abaixo que são realizados em laboratórios de análises clínicas, você deve entrar em contato com nossa Clínica para programar o envio de material para a realização do teste da Atividade das Células NK e do balanço de citocinas no Laboratório Sollutio, que identificam a necessidade do tratamento imunológico.


 
liso2Artboard 1 cópia 3@4x-100.jpg
 

Testes iniciais recomendados

 

Veja abaixo a lista dos exames recomendados para casais com abortamento recorrente ou falhas em reprodução assistida:

Para a paciente:

Cariótipo de sangue periférico com bandas
Pesquisa da atividade das células NK.
Dosagem de células NK (CD-3, +16, +56);
Pesquisa de Anticorpos anticardiolipina;
Pesquisa dos anticorpos anti β-2 glicoproteína-1
Pesquisa dos anticorpos anti fosfatidilserina
Pesquisa do fator anticoagulante lúpico;
Fator antinúcleo;
Anti-peroxidase tireoideana;
Anti-tireoglobulina;
Pesquisa de Mycoplasma e Ureaplasma no colo uterino;
Pesquisa de Streptococus Beta hemolítico no colo uterino e na secreção vaginal;
Bact. e cultura de secreção vaginal;
Pesquisa de Chlamydia no colo uterino;
Sorologia para HIV I e II;
Sorologia para HTVL I e II;
Pesquisa de HbsAg;
Anti HCV;
Anti Hbc total;
VDRL;
Sorologia para toxoplasmose;
Sorologia para Citomegalovírus;
Sorologia para Chagas;
Prolactina sérica;
Glicemia de jejum e pós-prandial;
TSH;
T4-livre;
Tipagem sanguínea: ABO e Rh;
Teste de Coombs indireto;
Pesquisa da mutação do gene do fator V de Leiden;
Pesquisa da mutação G20210A do gene da protrombina;
Pesquisa da mutação C677T do gene da MTHFR;
Pesquisa da mutação A 1298 C do gene MTHFR;
Pesquisa do polimorfismo 4G/5G do gene PAI-1
Dosagem da proteína C e S;
Dosagem de Antitrombina III;
Dosagem da homocisteína
25-OH-Vitamina D3.
IgE-soja
IgE-peixe
IgE-clara de ovo
IgE-amendoim

 
 
 

Para o companheiro:

Sorologia para HIV I e II;
02. Sorologia para HTVL I e II;
03. Sorologia para Chagas;
04. Sorologia para Lues;
05. Pesquisa para Hbs-Ag;
06. Pesquisa Anti-HBcTotal;
07. Anti-HCV;
08. Tipagem sanguínea: ABO e Rh;
09. Cariótipo de sangue periférico com bandas.

 
 
 

Se você estiver procurando nossa clínica para identificar causas de infertilidade, veja a lista de exames para investigação inicial para o casal:

Para a paciente

Exames hormonais (colher entre o terceiro e quinto dia do ciclo menstrual, considerando o primeiro dia como aquele em que você apresentar sangramento vivo):
FSH
LH
Estradiol
Progesterona
TSH
T4-livre
Prolactina
Hormônio anti Mulleriano

Exames de imagem:
Ultrassom abdominal e pélvico para pesquisa de endometriose profunda
Histerossalpingografia
*Eventualmente, pode ser solicitado Ressonância Magnética Pélvica, Videohisteroscopia e Videolaparoscopia

para o companheiro

Espermograma com avaliação da morfologia de Kruger
Halosperm ou fragmentação do DNA espermático

Obs: Esses exames devem ser colhidos entre 24 e 48 horas após a última ejaculação. Indicamos em Campinas a Clínica Androfert. Em São Paulo, o Laboratório de Medicina Masculina.

 

SE VOCÊ ESTIVER PROCURANDO NOSSA CLÍNICA POR SUSPEITA DE INSUFICIÊNCIA ISTMO CERVICAL, VEJA A LISTA DOS EXAMES QUE VOCÊ PODE PROVIDENCIAR ANTES DO SEU ATENDIMENTO

1. Histerossalpingografia ou Videohisteroscopia
2. Pesquisa de Mycoplasma no colo uterino
3. Pesquisa de Ureaplasma no colo uterino
4. Pesquisa de Chlamydia no colo uterino
5. Pesquisa de Neisseria no colo uterino
6. Bacterioscopia e cultura da secreção vaginal.

Os resultados dos exames podem ser enviados para anexar ao prontuário da paciente através do e-mail clinica@barini.med.br

 
 

 

bb6.jpg