Marta, Luiz e Nicole

IMG_20180325_183131941.jpg

Eu e meu marido já estávamos casados há uns 8 anos quando decidimos engravidar. Engravidei duas vezes e nas duas vezes a gestação não ultrapassou 8 semanas, resultando em aborto espontâneo. Na terceira gravidez eu fiquei bem mais animada porque descobri a gravidez em um exame de ultrassom para checar os ovários e a gestação já estava adiantada em torno de 10 semanas, porém o tamanho de bebê estava um pouco abaixo do esperado, o que mesmo assim me deixou radiante e acreditando que nessa vez iria dar certo. Na semana seguinte comecei a ter sangramentos pequenos e foi constatado no ultrassom que o coração do bebê não batia mais, então abortei na 11ª semana.

No período de 2 anos fizemos 1 inseminação, 2 FIVs e engravidei na segunda FIVs, porém também nesta vez a gravidez não passou da 5ª semana.

Finalmente conhecemos e fomos à primeira consulta com o Dr. Ricardo Barini, que após conhecer toda a nossa história de tentativas e perdas, nos indicou a vacina de crossmatch, que se positivou em 3 meses.

O Dr. Barini sempre nos incentivou e nos orientou a deixar as coisas fluírem normalmente, sem remédios para ovular, sem maiores preocupações, pois tudo iria dar certo. E deu! Em uns 2 meses depois dessa consulta eu engravidei novamente e fui logo ao encontro do Dr. Barini para a primeira consulta grávida.

O ultrassom mostrou uma gestação de pouco mais de 3 ou 4 semanas, havia 2 sacos gestacionais, em formatos que o Dr. Barini não gostou, um embrião parecia mais desenvolvido que o outro e não era possível ver as imagens com clareza, porém ele disse: -- “Não duvidem da força de um embrião! Vamos aguardar mais um pouco”. Demos sequência às vacinas até completar o 3º mês da gravidez. A vacina foi importantíssima e essencial para que eu não abortasse novamente!

A gravidez seguiu e o próximo ultrassom já foi bem melhor, mas não era ideal ainda. Um dia antes do exame de ultrassom das 12 semanas tive um sangramento forte e por telefone meu marido informou ao Dr. Barini que nos tranquilizou dentro do possível e nos orientou a fazer o ultrassom no dia seguinte, pois eu não tinha cólicas e o sangramento havia cessado rapidamente em poucos minutos.

No ultrassom o médico indicou que estava tudo bem, que o feto estava se desenvolvendo perfeitamente como o esperado. Quando informamos que eu havia tido o sangramento ele não acreditava, disse que não havia rastros de sangramento algum e que o bebê era grande e perfeito. Perguntamos se os dois eram perfeitos e ele disse que só havia um bebê. Concluímos juntos que um dos fetos havia sido abortado, por isso o enorme sangramento no dia anterior.

Durante os exames de rotina com o Dr. Bariri, constatamos que eu tinha tendência a trombofilia, o que seria contornado com a administração das injeções do remédio na barriga até o dia do parto, para que o bebê recebesse todos os nutrientes necessários pelo cordão umbilical.

Ficamos na expectativa para o próximo ultrassom no 5º mês e quando estávamos no exame, o mesmo médico que me atendeu no ultrassom dos 3 meses, constatou que eu estava com dedo de luva, dilatação e contração naquele exato momento. Meu marido ligou pro Dr. Barini, os médicos conversaram e o Dr. Barini nos orientou a irmos imediatamente para o hospital e que ele iria realizar a cerclagem com urgência. O Dr. Barini foi ao nosso encontro e quando cheguei tudo estava pronto pra cirurgia. Vi os olhos das meninas da clínica que também estavam no hospital, vi os olhos do Dr. barini que me disse: “Fique calma, é só o que eu preciso pra conseguir fazer isso e eu vim aqui pra salvar essa criança! Eu vou salvar essa criança, é uma questão já decidida pra mim, eu vou fazer o parto desse bebê no tempo certo!” Eu relaxei e depois de  quase 1 hora acabou a cirurgia, meu marido estava no corredor e o Dr. Barini sorriu com os olhos e disse que havia dado tudo certo. Os dois choraram e se abraçaram.

A gravidez seguiu perfeita daí em diante, continuei com as injeções que evitavam a trombofilia diariamente  até o dia do parto. E enfim, no dia 25 de março de 2010 nasceu a nossa riqueza Nicole, linda, forte e perfeita!

Aquele foi o dia mais feliz das nossas vidas, dia em que o Dr. Barini trouxe ao mundo, depois de tanto acolhimento, profissionalismo, força, esperança e carinho, alí estávamos nós realizando o nosso maior sonho!

Não há palavras pra dizer o quanto importante e essencial o Dr. barini foi e é em nossas vidas. Depois de abortar um dos gêmeos, tomar injeções todos os dias ,fazer a cerclagem, a nossa esperança se renovava a cada conversa com o Dr. Barini.

Deus o usou como instrumento na realização destes milagres que ocorreram durante minha gravidez, não tenho dúvida alguma dos milagres ocorridos e por isso sou pura gratidão à Deus e à você Dr. Barini!

 

Marlene Bognar Bognar